sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Esse meu desapego

  Sempre ha um momento na vida que temos que apertar o play, ou ate, delete. Muitas vezes isso exige tempo e determinação.
   Apertei esse play e delete ha uns 3 meses. Meu grande problema foi que fiquei estagnada com um passado que fazia questão de me afundar, poxa, meus 480 "amigos" do Facebook, se eu deletar o meu nunca mais terei noticias de ninguém, deletar ou não?
   Foi quando surgiu essa duvida de me manter ou não conectada com pessoas com as quais eu não interagia, não eram meus amigos, e os poucos que eu considerava amigos, e que me deixavam o sentimento de permanecer com aquela linha, passavam semanas sem responder uma simples mensagem que não tomaria 5 minutos. Pensei, repensei, e exclui o Facebook,  Foi um alivio total, me acostumei fácil.
   Exclui alguns contatos velhos na agenda, me afastei de algumas pessoas. Uma amiga próxima me disse que sou bastante radical nessa área, não que eu seja radical, mas tem certas coisas e sentimentos que já não se encaixam mais. E eu me sinto incomodada. Meu cabelo também foi alvo de meu desapego, posso dizer, que minha marca também foi alvo. Sim, meu cabelo sempre foi elogiado, um cabelo cacheado, longo desde que eu era criança, aqueles cachos longos e jogados de lado. Em um dia qualquer de outubro, peguei uma tesoura, coloquei uma musica, claro, pesquisei, pensei se era mesmo o que eu queria. E sim. Era o que eu queria. Cortei acima do ombro. Pode parecer bobeira, mas eu precisava provar para mim mesma, que eu não precisava de um cabelo longo para me achar bonita, e eu precisava de uma mudança.
   Agora venho tentando desapegar de meus medos, me apoiar nos sonhos, na força de vontade de querer algo novo para vida. Com alguns acontecimentos acabei me tornando extremamente desconfiada, com um medo de encarar o mundo la fora, quando eu me via em uma situação com o mundo externo, eu inventava qualquer historia para fugir. So que eu tenho algo a realizar, eu preciso tirar essa sensação que irei ser atingida a qualquer momento, e se eu for atingida, que eu encare com a força daquela garota de dezessete anos.
  Enfim, na vida ha momentos do basta, basta dessa fragilidade, basta sentimentos que não me acrescentam, a vida precisa de desapegos internos e externos, Esse desapego e uma forma de crescimento pessoal, uma forma de vencer a si mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário