segunda-feira, 7 de abril de 2014

Fogo Cruzado


      Ha dias em que os sentimentos se encontram confusos, perdidos. O corpo busca uma razão para se erguer, tudo parece tao distante. Os planos sucumbiram, nada resta. Como se os sentimentos estivessem largados por ai, em uma esquina qualquer. Venho lutando contra as minhas próprias fraquezas, minhas próprias falhas, venho tentando me limitar de tudo, de qualquer erro. Nao quero pisar em falso.
     As vezes parece que tudo some. Exatamente tudo, sabe eu não digo nada disso em relação as pessoas, não busco idealiza-las, já levei muito delas. Elas sabem de alguma forma nos confundir, nos enganar.
Mas as vezes penso que seria mais fácil se eu estivesse lutando contra elas, do que contra mim. Pois quando se trata de lutarmos contra nos mesmos, as coisas se tornam difíceis. Os sentimentos se encontram presos, as vezes me encontro a flor da pele. Tento guardar para mim mesma, talvez as outras pessoas não entendam. Tenho alguns sonhos, mas tenho um certo medo de revela-los. Sei la sabe?
Estou sem forças para sonhar, ate meus bracos se encontram fracos. Nao me peçam um abraço, não me peçam nada. Absolutamente nada. Ver a vida correr cansa, o estomago embrulha. O silencio, aquela nuvem escura, nela encontro a claridade que procuro. A chuva restaura meu corpo. O sol me esquenta, me acolhe, me abraça. Nao quero abraços de pessoas, elas traem. Tudo tao falso e premeditado . Posso falar algo que anda engasgado aqui? Muito Obrigada. Voces devem estranhar o motivo pelo qual falo a respeito de falsidade, traição, abandono. Na verdade passei por muito disso. Abandono. Mas também tive bastante acolhimentos, seria muito fácil apenas dizer o ruim, e não falar a respeito de coisas boas que me aconteceram. Lembro que esperei tanto por duas, não apenas duas pessoas. Esperei um abraco, de uma ajuda. Foi durante minha viagem, defendi, coloquei minha cara a tapa. Eu tive que fazer uma escolha. E fiz.
    Escolher uma pessoa que se julgava minha "amiga", outra que jurava me "amar". As duas. Me coloquei em fogo cruzado. Deixei a que jurava me "amar". Ela não me amava, apenas tinha alguém com quem brincar, fingir um ciume, e não deixar que ninguém soubesse de algo sobre nos. Que amor meu caro. Você pode rir, você tem um dom para o fingimento, te daria o Oscar. Vista seu melhor terno e apresente-se, não tenha vergonha. Para que vergonha? Você soube deixar de certa forma alguma marca.
Ahh já estava me esquecendo do meu caro "amigo". Primeiramente quero te agradecer por toda sua ajuda, realmente sua amizade fez toda diferença. Sim, claro que fez. Oh meu caro amigo. Eu te olharia nos olhos, e te pediria que falasse o que vê no fundo deles. Lembra das nossas gargalhadas. Você lembra que coloquei minha cara a tapa por nossa amizade? Sabe em que você mais me ajudou? Me ajudou a sair de um relacionamento que me sufocava aos poucos, mas eu não sentia. Ao menos nisso você me ajudou. So não espere de mim algo. Eu chorei meus caros. Chorei. Eu fiquei no meio termo, não sabia para que lado correr, e hoje vocês estão amigos. Era uma estrategia. Conseguiram, vivam a verdadeira amizade. Se existir uma verdade, não e mesmo? Estou esquecendo, mas as vezes e preciso vomitar essas palavras de algumas forma. 
    Sabe, não e rancor. Nao, não. Apenas uma certa tristeza. Talvez seja isso que me incomoda algumas vezes, vai saber. Nao adianta. Aprendi que devemos andar alerta, ainda mais com esses tais "Amores" & "Amigos". E difícil. Mas a cada dia aquelas faces vão partindo, como neblina sabe? Vai sumindo aos poucos, e logo a mente se encontra limpa. As musicas já não trazem lembranças. Fotos? Bom, na verdade não existem mais fotos, lembranças, absolutamente nada. Se não fez bem, não tem que ficar com lembranças de pessoas que hoje já não fazem nenhuma diferença. Agora e lutar contra mim mesma, contra meus medos, aflições, contra tudo que me cerca. E assim sigo. Sigo essa estrada cheia de curvas e altos e baixos. Assim vou levando cada momento, horas e segundos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário