quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Hidratação de Cafe

















 Sou o tipo de pessoa que sempre busca tratamentos caseiros, coisas para cabelo, pele. Porem, não sou dessas de fazer qualquer tipo de coisa em meu cabelo ou pele. Sempre fui medrosa nesse aspecto (hahaha). Procuro usar coisas que não me prejudique, sempre penso: Bom, se não obter um bom resultado, pelo menos não estraga. Como por exemplo: Hidratação com cenoura e beterraba, hidratação de cafe, entre outros tipos. O máximo que pode acontecer e meu cabelo não aceitar, e ficar meio estranho, como o gel de linhaça, experimentei, porem meu cabelo não aceitou, ficou meio sem definição e sem brilho.
 E no meio de minhas pesquisas sobre o uso do cafe, pois eu já havia usado na pele e gostei, resolvi procurar sobre o efeito nos cabelos, vi alguns videos e parecia ser bom. Então experimentei e amei.

Bom, vou deixar aqui o que coloquei na hidratação!

*1 colher de pó de cafe;
* 1 colher de Óleo de Coco;
*1 colher Azeite de Oliva;
* 2 colheres de Creme hidratação ( usei da Novex);

-Misturei todos os ingredientes, fiz uma massagem no cabelo. Deixei 30 minutos, não gosto de deixar mais que 30 minutos, acho que meu cabelo acaba ficando leve demais.

Irei deixar alguns videos que encontrei no youtube:


 1-Marcy Banos!


2-Brenda Lima!




 Testei duas vezes, tem que enxaguar bastante para tirar o pó de cafe, sem contar que fica um cheirinho de cafe no cabelo, porem não importei. Meu cabelo ficou brilhoso e macio, gostei bastante, só que eu apenas assisti os videos e usei o que tinha em casa para hidratar, os videos me ajudaram a ter uma base da hidratação e de seu resultado. A foto no inicio logo apos a hidratação.
 
Agora vou indo, espero que gostem.
Beijos.



















sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Esse meu desapego

  Sempre ha um momento na vida que temos que apertar o play, ou ate, delete. Muitas vezes isso exige tempo e determinação.
   Apertei esse play e delete ha uns 3 meses. Meu grande problema foi que fiquei estagnada com um passado que fazia questão de me afundar, poxa, meus 480 "amigos" do Facebook, se eu deletar o meu nunca mais terei noticias de ninguém, deletar ou não?
   Foi quando surgiu essa duvida de me manter ou não conectada com pessoas com as quais eu não interagia, não eram meus amigos, e os poucos que eu considerava amigos, e que me deixavam o sentimento de permanecer com aquela linha, passavam semanas sem responder uma simples mensagem que não tomaria 5 minutos. Pensei, repensei, e exclui o Facebook,  Foi um alivio total, me acostumei fácil.
   Exclui alguns contatos velhos na agenda, me afastei de algumas pessoas. Uma amiga próxima me disse que sou bastante radical nessa área, não que eu seja radical, mas tem certas coisas e sentimentos que já não se encaixam mais. E eu me sinto incomodada. Meu cabelo também foi alvo de meu desapego, posso dizer, que minha marca também foi alvo. Sim, meu cabelo sempre foi elogiado, um cabelo cacheado, longo desde que eu era criança, aqueles cachos longos e jogados de lado. Em um dia qualquer de outubro, peguei uma tesoura, coloquei uma musica, claro, pesquisei, pensei se era mesmo o que eu queria. E sim. Era o que eu queria. Cortei acima do ombro. Pode parecer bobeira, mas eu precisava provar para mim mesma, que eu não precisava de um cabelo longo para me achar bonita, e eu precisava de uma mudança.
   Agora venho tentando desapegar de meus medos, me apoiar nos sonhos, na força de vontade de querer algo novo para vida. Com alguns acontecimentos acabei me tornando extremamente desconfiada, com um medo de encarar o mundo la fora, quando eu me via em uma situação com o mundo externo, eu inventava qualquer historia para fugir. So que eu tenho algo a realizar, eu preciso tirar essa sensação que irei ser atingida a qualquer momento, e se eu for atingida, que eu encare com a força daquela garota de dezessete anos.
  Enfim, na vida ha momentos do basta, basta dessa fragilidade, basta sentimentos que não me acrescentam, a vida precisa de desapegos internos e externos, Esse desapego e uma forma de crescimento pessoal, uma forma de vencer a si mesmo.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

My Mad Fat Diary

 So tenho a dizer que fiquei super viciada nessa serie (hahaha).
Eu havia visto em um blog sobre a serie, como sempre faço, anotei em minha agenda. Porem sou aquele tipo de pessoa que enrola para ver algo, quando finalmente paro para assistir, acabo desistindo na metade. Enfim, decidi assistir.
 A serie retrata a vida de Rae, uma adolescente acima do peso que sofre preconceito, e com isso a leva a se cortar.A historia se passa em Lincolnshire na Inglaterra, depois de ficar 4 meses em uma clinica de recuperação, na volta para casa ela encontra Chloe, uma amiga de infância, a mesma apresenta Rae a um grupo de amigos, Rae vê ali uma oportunidade de recomeçar, porem esse e o começo de altas aventuras e a descoberta de si mesma.
 Bom, não irei contar toda a historia da serie, pois o melhor e a sensação de ansiedade por cada minuto e episodio. Eu gostei bastante, pois e uma serie que retrata bem a maneira como muitos adolescentes se enxergam, a serie retrata de uma forma divertida e tocante a rotina de Rae, os problemas, os relacionamentos ( Finn hehehe),  e com tudo isso consegue passar boas mensagens. A maneira como enxerga a si mesma, a forma como ela se coloca para baixo quando se compara a outras garotas, e a forma como ela deve mudar essa situação e se olhar de uma maneira diferente. Uma serie bem tocante. E a trilha sonora e fantástica, incluindo Oasis ( a banda preferida de Rae), Blur, The Cure, e The Smiths ( quase surtei quando escutei, e uma das minhas bandas preferidas "Take me out tonight"...). 
 Agora estou na espera da terceira temporada...


Imagens: Google

domingo, 23 de novembro de 2014

Apenas escute


 Depois de passar o dia pensando, deitada e aproveitando para escutar o som da chuva, resolvi me levantar. Comecei fazendo o que gosto, depois pesquisando sobre cuidados com cabelos, algumas entrevistas de famosos em inglês, só para dar aquele up. Ler algo que me ajudasse de alguma forma, escutar boas musicas.
 E pensei em matar a saudade de algumas musicas e descobrir novas. E teve algumas que a letra sempre me inspirou, por esse motivo resolvi coloca-las aqui.
 Vamos escutar um pouquinho!!

1-Still that girl- Britt Nicole



2-All this time-Britt Nicole


3- And Run- He is We


4- Breakaway Kelly Clarkson


 Sei que as vezes passamos certos conflitos com nosso interior, e acho que esse seja o pior conflito. Ficamos tao perdidos, desanimados, a chance dessa situação piorar e muito grande, a grande mania de se deixar afundar, e esquecer de nos mesmos. O medo de arriscar o novo, medo de se decepcionar, medo de não ir bem no trabalho, medo de não ser fiel a Deus, medo de não encontrar um amor verdadeiro. Sempre penso que isso são fases, as quais tenho que ter controle, tenho que saber ate onde posso ir. A questão e ter amor próprio, enxergar nossos talentos, nossa beleza, parar de nos colocar la embaixo. Quero esquecer o que me disseram. Quero viver. Eu sempre disse a mim mesma que não me permitiria apenas existir, que a vida tem uma essência, tem uma simplicidade que muitos fecham os olhos. Pois a vida tem muito mais. 
 Abraços.


sábado, 22 de novembro de 2014

Hoje

  Duas da manha, fones de ouvido, o sono parecia ter me abandonado. Meus pensamentos não se aquietavam, poxa, de alguma forma tudo vem retornando, eu já estava conseguindo.
 Aquela vontade de deixar tudo de lado, apenas por um momento, apenas por hoje, eu gostaria de voltar a ser aquela garota de dezessete anos. Sei que talvez um dia eu volte aqui e leia esse texto, e pense: Poxa, acho que eu não estava legal, me lembro que aproveitei para furar a dieta com três pedaços de panquecas e vários copos de refrigerante, era uma meta parar com o refrigerante.
 Passar o dia no quarto lendo algum livro, escutando musica. Sei la. Ouço algumas pessoas perguntando de mim, mas prefiro não responder. Conversando com uma amiga, ela me diz que eu preciso sair dessa. Particularmente fiquei meio sem saber, mas ela volta a dizer que esse meu modo de achar que todos querem me atingir de alguma forma, achar que as pessoas não são bem intencionadas, ou esse medo de sair, de fazer outras coisas. e que se eu me entregar ao desanimo, ao medo de não conseguir, irei acabar com meu futuro.
Antigamente sempre coloquei na minha cabeça que eu não queria apenas existir, sempre lutei pela minhas coisas, sempre fui tao entusiasmada, tinha todo um roteiro de vida, o meu grande sonho. Não estou reclamando, e muito menos tentando me deixar mais para baixo. Mas quando me lembro que uma pessoa disse que eu nunca conseguiria, e que eu só estava atrapalhando, foi como se aquilo adentrasse em minha mente e não saísse de forma alguma.
 Sempre acreditei muito nas pessoas, só para se ter uma ideia, as pessoas me chamavam de simpatia, sorriso, ou diziam: eu nunca vi essa menina triste, só sabe sorrir. Hoje em dia procuro não deixar as pessoas se aproximarem, arrumo alguma forma de cair fora de qualquer tipo de relacionamento, ou apenas me afasto daqueles que "considerava" meus amigos.
 Sei que não deveria escrever esse tipo de texto, sei que deveria passar uma imagem de vida cor de rosa, porem essa e minha realidade no momento. Esta dentro de mim, sei que sera trabalhoso tirar esses pensamentos, um dia isso tudo terá sido apenas uma fase ruim, na vida de uma pessoa comum. Quem sabe amanha.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Marcas na alma

  Hoje meus pensamentos estão borbulhantes. Sei que já tirei tantas coisas, pessoas, tudo aquilo que ficava me prendia, eu precisava abrir um novo caminho.
  Porem ainda ha algo que me incomoda. Ou sera que sou eu que nunca estou satisfeita com nada? Nao sei. Acho que as marcas, elas ainda são visíveis, eu consigo vê-las, e o mais difícil, eu consigo senti-las. Isso me incomoda. Tento recorrer a alguma formula magica. Leio blogs, livros, escuto musicas, me acalma, sossega meu interior. Mas as marcas continuam ali.
  Tento respirar e continuar, eu não posso parar agora, qual e o meu problema?
Eu tenho um futuro, as palavras daquelas pessoas, as mentiras, a falsidade, eu não posso me deixar levar, não posso permitir que minha vida se passe, não posso me deixar acreditar no que disseram. Eu sei que sou capaz, sempre lutei pelo que sonhei.
  Eu tinha muita vontade de conhecer novas pessoas, tinha uma vontade imensa, e uma coragem maior ainda. Hoje eu estava procurando algumas coisas na internet, parei um pouco, e por alguns instantes me achei incapaz, meu coração acelerou, foi uma sensação tao estranha. Tenho medo de me sentir contra a parede, tenho medo que calem minha voz, tenho medo que me coloquem para baixo.
  Parei para pensar se valeria a pena continuar a escrever, porem eu gosto, acho que quando leio meus textos, posso pensar em o que devo mudar, se meus sonhos continuam os mesmos. Sempre escrevi, sempre guardei meus sentimentos em uma folha de caderno, em uma agenda jogada no fundo do guarda roupa.
 Sera trauma? Eu não consigo deixar de sentir um leve pavor em pensar em uma nova amizade, um namoro, emprego. O medo de não conseguir, medo de desapontar, e o grande medo que me desapontem, que digam as mesmas coisas que escutei. Disseram que estou muito pensativa hoje, na verdade, estou todos os dias.
 Tenho que de alguma forma tentar reverter esse quadro, se eu deixar essa correnteza me levar, poderei me afogar na frente, tenho um futuro. Tenho que voltar. Preciso de coragem. Preciso me amar. Preciso mostrar a mim mesma que sou capaz, que de alguma forma eu não tenha permitido que tudo aquilo tenha tomado parte do meu ser. Preciso ir em frente. Preciso sonhar.
 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Um pedaço do Mundo: Groenlândia

  Posso falar uma verdade? Pois bem, nunca pensei em falar sobre a Groenlândia, nunca, jamais, nunca.
Mas essa semana resolvi sentar no sofá e assistir um filme com meu sobrinho, o titulo era: A vida secreta de Walter Mitty, já assistiram? De repente passou algumas cenas na Gronelândia, achei engraçado que era super deserto, não tinha muitas pessoas. Ai pronto. Fiquei meio interessada em conhecer mais, comentei com meu sobrinho e ele disse: Eu que não tenho vontade, não tem nada para fazer (hahaha). Mas sou do contra, fui buscar algumas informações do local, que de certa forma me chamou bastante atenção.
 A Groenlândia e uma nação constituinte autônoma do Reino da Dinamarca, considerada a maior ilha do mundo. So para se ter uma ideia, a Groenlândia e a segunda maior reserva de gelo do mundo, ficando atras apenas da Antártida, "Antártida"!!! Ja deu para entender como deve ser fresquinho la
 ( haha).
Tem cerca de 57.564 (2008) de habitantes, a principal religião e o cristianismo com 96,65% de praticantes.
 Fiquei encanta com o pais, tem uma beleza digna de admiração. Vamos ver algumas imagens?
Vamos!!!













Viu que lindeza?
Amei conhecer, mesmo sendo por imagens e algumas leituras.
Imagens: weheartit. (Amo!! Baixei o aplicativo, e vivo pesquisando imagens inspiradoras).
Vou indo, fiquem com Deus.
Beijos!!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Marcas na janela

  Você se foi mais uma vez. Foi. Sem me avisar, ao menos ousou se despedir. Ainda vejo sua imagem refletida no espelho, suas marcas de dedo na janela.
  Algumas peças de roupas estão espalhadas pela casa, sua jaqueta pendurada ao lado da porta. O seu perfume exala por cada comodo. Alguns fios de cabelo na fronha alva, e por falar nisso, você gostava tanto daquele travesseiro. Ainda coloco uma segunda xícara todas as manhas e fins de tarde na mesa. Nos dias ensolarados vou ate varanda e fico observando. Talvez. Talvez você apareça de surpresa. Você sempre gostou de surpresas. Como essa que você acabou de fazer.
  O livro que você estava lendo ainda continua na mesinha ao lado da cama, pagina 75 marcada. As vezes ainda o folheio, na leve esperança de encontrar algum sinal, talvez você só tenha resolvido brincar, e tenha espalhado dicas de onde te encontrar pela casa. Ha dias que vou no parque, me sento em frente ao lago, alimento as aves, como costumávamos fazer aos finais de tarde.
  Talvez eu esteja criando muita expectativa em torno de sua volta. Quem sabe, eu esteja me afundando a cada dia, esteja arrancando pedaços de mim. Esteja me enganando, talvez  seja uma forma de não enxergar a realidade, a forma de não me permitir sentir a dor. Aquela musica me lembra tanto você, mas devo ser sincera comigo mesma.
  Em algum momento eu terei um súbito de raiva e apague todas suas lembranças, pelo menos as possíveis, as materiais. Rasgarei nossas fotos, quebrarei sua xícara, doarei suas roupas. E quando isso acontecer eu não permitirei mais suas surpresas em minha vida. Na verdade, creio que você já tenha decidido não me surpreender mais.

Imagem: We heart it

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Aos dezessete
























  Hoje não pude me conter, acho que todo o mundo tem um dia desses. Esses dias que você faz do possível para engolir o choro,  em que ficamos engasgados,  sei la.
  Particularmente odeio isso, mas e quase impossível não ocorrer. Parei por um instante e comecei a reparar que tantas coisas foram ficando para trás, reparei o quão distante os meus sonhos estavam. Como se eu estivesse em uma estrada, e olhando pela janela, eu acompanhasse tudo ficando para trás, uma estrada longa.
  Ao telefone não pude suportar, e desabei, em alguns momentos tive que tirar o celular de perto, e respirar profundamente. Ha uns três anos, eu tinha toda forca para lutar, hoje me culpo, me culpo por não ter essa tal coragem. Paro para pensar e sinto uma certa saudades daqueles dias, sei que devemos seguir em frente, mas hoje vejo meus sonhos tao distantes.
 Me lembro perfeitamente daquela garota que aos dezessete tinha uma bravura, decidiu encarar de frente um mundo desconhecido, não que hoje eu não tenha, mas...sei la, pode ser que hoje eu não tenha. Eu não gosto muito de desabafar com alguém, pareço demonstrar uma fraqueza, um medo.
Me lembro daqueles dias cinzentos, lembro que eu não conseguia dormir de tanto frio na barriga, frio de esperança, frio de passar horas na cama sonhando acordada, de ter apenas a luz do celular para escrever na agenda, pois já era tarde para ficar com a luz do quarto acessa.
  Hoje me sinto tao distante, me sinto perdida, ate tento dar alguns passos, mas as vezes e impossível prosseguir. Sei que as vezes pareço chata desabafando, porem gosto de escrever nesses momentos, Na verdade prefiro desabafar por meio da escrita, do que com pessoas, ela são muito imprevisíveis. Porem, nunca me esquecerei dos meus dezessete, nunca me esquecerei daqueles dias, lembro que as pessoas usavam suas palavras para destruir meus sonhos, eu ate chorava, mas seguia. Hoje, parece que tudo aquilo se juntou, como se cortassem minhas forças.
  Sei que um dia esses sentimentos irão passar, talvez seja apenas uma fase, uma daquelas que e preciso para nos encontrarmos, talvez seja o momento para criar forças, o momento de encontrar aquela garota que aos dezessete resolveu mudar de país, aquela que aos dezessete tinha uma força de vontade, tinha uma paixão pela vida. Que saudade daquela garota.

Imagem: We heart it

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Meu mundo

   Eu tinha um mundo. Ainda tenho um mundo, um mundo a qual esta fechado para visitas. Nao quero que me perturbem ou me tirem a total calma. As vezes esse mundo e meu único refugio, nele eu consigo enxergar cada coisa linda. As vezes dou uma leve olhada pela fresta da  porta da alma, mas logo me recolho.
 Sei la, fico me perguntando: Onde esta a essência das pessoas?
 Achei que seria mais seguro ficar dentro dele, me proteger, criei um casulo. Claro, as vezes sou obrigada a colocar meu corpo para fora, e poxa, volto extremamente decepcionada. Algumas pessoas são extremamente cansativas, apenas as respondo com um leve movimento com a cabeça. Certos assuntos, ou opiniões, prefiro guardar para mim, se eu eu realmente for entrar em detalhes sobre o meu mundo, eles virão com seu mundo de realismo, de como precisamos agir como pessoas racionais.
 Sei que devemos agir com razão, mas podemos nos emocionar com coisas pequenas, ver a beleza em algo, que na visão de outra pessoa passe totalmente desapercebido. Quando eu era adolescente e morava no interior, eu vivia trancada nesse meu mundo, passei por alguns momentos chatos, mas na verdade, quem nunca passou? Estaremos sempre vulneráveis a problemas externos. Nesse meu mundo eu olhava pela janela, e conseguia me apaixonar pela simples flor, o balançar das arvores, a brisa, os animais. Sempre me instigava a continuar.
 Mesmo aos 20 anos de idade, meu mundo continua oscilante, ainda continua tudo tao lindo, as vezes me bate uma certa tristeza, fico meio perdida, as duvidas me assombram, porem sempre volto ao meu mundo, e ele me enche de energia. Meu mundo enfeitado de sonhos, realizações, coragem, amor, Deus. E quando os problemas apertam, nada melhor que respirar dentro do meu mundo, nada melhor que recarregar os pensamentos de coisas boas, e enxergar que tudo não passa de uma experiencia, de uma prova.
 E irei envelhecer com esse meu mundo, me encantando, me fazendo acreditar que posso ser feliz.  Pois a felicidade esta nas coisas mais simples.

Sonzinhos da noite:







sábado, 11 de outubro de 2014

No silencio da madrugada

  No silencio da madrugada, uma xícara de chá ao lado. Sim, chá. Tive que parar com a quantidade excessiva do cafe. Apenas o barulho do notebook, um caderno, não esquecendo da minha agendinha vermelha.
 Hoje me sentei na parte de cima da casa, sozinha no escuro, e fiquei observando a cidade. Senti aquela brisa, senti os cuidados de Deus. Ali sozinha, pensando sobre a vida. Sobre o real sentido de uma vida já feita, porem agradecendo a Deus por tudo, por me fazer enxergar logo cedo o real sentido. Um certo medo da manipulação. Medo dos sonhos ficarem parados, medo de guarda-los em uma caixinha, deixa-los empoeirar, e só abrir quando a coragem bater. E o medo de perceber que e tarde demais.
 E tao estranho como as pessoas são vazias, elas se esforçam para conseguir o que querem, e logo apos ficam tristes, são alegrias tao passageiras, alegrias tao vazias, e no fundo isso me amedronta. Me amedronta a falta de interesse pela vida, consigo próprio. As pessoas te garantem estabilidade em uma vida bem regrada, como se seguissem um linha, uma linha infinita. Tudo tao certo, onde olhar os outros tentando algo diferente nos leva a pensar que e loucura. Loucura. Nao consigo entender. Nao seria loucura viver uma vida estagnada? Uma vida para satisfazer os egos dos outros. Medo de errar.
 Vejo pessoas que seguem aquele mesmo caminho, e quando eu digo a elas meu pensamento, elas me cravam um olhar sugador ou palavras ásperas.  Mas um sonho ninguém arranca, ninguém tem força o suficiente. Observo as pessoas conseguindo uma bolsa na faculdade, um carro, casa,  mas sempre andam tristes, vivem insatisfeitos. Elas não conseguem ver a real beleza nas coisas mais simples, naquelas que o dinheiro não consegue comprar. Na leveza de um olhar, na brisa no rosto. Pode parecer besteira, uma conversa sem sentido, mas já vi de perto pessoas apenas existirem,  eu vi de perto no olhar a alma pedindo ajuda. E sinceramente, tem algo em mim que grita, que pede para não entrar nessa. Eu sei que serei muito infeliz, já tentei fazer isso, e não obtive um resultado de sucesso.
 Penso que a vida já e tao pequena, as vezes parecemos sombras. Apenas seguimos regras ditadas pela sociedade, por nossos pais. Seguimos por medo de fracassar, aparentemente esta tudo bem, no fundo. Ah no fundo apenas um vazio. No silencio da madrugada posso sentir minha essência, enfrentar meus medos, me encontrar, encontrar as palavras guardadas na mente e na agenda vermelha. As vezes e preciso se esvaziar, para se sentir completo.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Hello Outubro. Hello Pessoal.

 Um finalzinho de tarde gostoso, me sentindo um pouco perdida, mas buscando uma paz interior e uma conectividade com Deus. Aproveitei esses últimos dias para aprimorar meu gosto musical, sou super afim de Indie/Folk/Alternativa, e curto outros estilos. Porem esses são os que mais me inspiram, as que consigo me imaginar em varias situações. Sabe, venho tentando melhorar comigo mesma e com Deus. As pessoas tem uma certa mania de colocar defeito em tudo, e isso de um certo modo vinha me atingindo. Tem pessoas que só sabem criticar, mas também não sabem melhorar. Quero focar em novos horizontes, em novos pensamentos. Agora deixando um pouco de conversa, como eu havia dito, estava escutando algumas playlist e resolvi separar algumas musicas que gostei bastante, vou  deixa-las aqui. Ah, quero desejar a todos um ótimo mês, com varias realizações, muitas bençãos e alegrias. Muita positividade, mesmo que os problemas apareçam desejo sabedoria para lidar com eles. Beijos.


1-The Honey Trees- To be with you


2-The Paper Kites- Bloom



3- Damien Jurado-Sheets


4-Iron and Wine-Upward over the mountain


5- Just like we do- Eisley


6- Beautiful Girls. William Fitzsmimmons



                                 

7-Keaton Henson-You



  Espero que gostem, agora vou indo. 
Elas sao bem calminhas, bom para relaxar depois de um dia cansativo. Gostaria de colocar mais, porem iria ficar enorme hahaha. Mas com o tempo vou colocando outras. Um super beijo.
 Tchuss...











terça-feira, 30 de setembro de 2014

Insanidades

   No meio das minhas insanidades posso contemplar a feição das pessoas. Elas me olham com espanto, posso ate mesmo escutar elas dizendo que sou louca, Que tudo e loucura.
   As pessoas ditam suas regras e devemos obedecer, mas sempre tem os "loucos". Eu sou uma louca. Posso vê-los com o olhar fulminante, quando digo que não quero levar a mesma vida que eles.  O problema das pessoas são suas manias de podar as asas dos outros, eles querem ditar a felicidade. Para eles a felicidade esta em um diploma, em casar, em ter filhos. Nao que isso não seja felicidade, porem os de alma inquietas não acham que devemos apenas seguir essa linha de vida, eles conseguem juntar-los e contemplar a real beleza da vida.
  Mas quando me penso nessa vida cheia de regras me canso. Ja pararam para reparar nessas pessoas que se formam, casam, trabalham o tempo inteiro, chegam cansado, juntam alguns trocados para uma viagem nas ferias. E isso dura a vida toda. Eles existem. Apenas respiram. Posso sentir suas almas fadigadas seus olhos tampados por apenas juntar dinheiro, fortuna, tal coisa que ficara ai.
  A liberdade dentro de cada alma. Aquele momento de insanidade em fazer algo que vai virar uma lembrança para toda eternidade. Essa rotina me cansa, essa bajulação me mata a cada dia. Eu sinto que eles querem me dominar de alguma forma, sinto eles chegando com delicadeza, me trazendo encantos.  
 De tanto me ditarem o que devo fazer, acabei me afundando em tristeza profunda, eu só queria viver, só queria colocar uma mochila nas costas e sair por ai. Eu não me vejo apenas formada e dentro de um escritório mofando, apenas suprindo o  desejo deles. Olhem para mim. Reflita. Isso e felicidade? Parem de tentar construir uma estrada para mim, pois na verdade eu irei voar. Eu tenho o céu. Quero liberdade. Quero viver. Nao pensem que quero apenas ficar andando por ai, claro que quero formar, só não quero deixar que isso suba a minha cabeça e eu esqueça a real essência da vida, pois e o que mais vejo. Olhares vazios. Pessoas que trabalham e trabalham e depois morrem. Apenas.
 Nas minhas insanidades consigo ser eu mesma, eu posso unir a obrigação com a liberdade. Nao entendo como fazem questão de dificultar tudo, a liberdade em nossas mãos, a brisa em nossa face. Familia e sociedade saibam de uma coisa: irei viver de minhas insanidades, dos meus sonhos loucos. Sinto muito, não nasci para seguir regras de uma falsa felicidade. Fiquem com seus diplomas de doutores. Que eu irei ficar com meu diploma da vida, da liberdade. E com minha insanidade. Pois tem tanta coisa boa fora de um escritório. Fora de nossas bolhas.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Livro. Chuva. Chá.

   Abre a porta e joga a chave em qualquer canto do sofá, joga o casaco pelo chão. Retira os sapatos úmidos e os deixa em qualquer canto. Nao imaginou que pegaria uma chuva no caminho do trabalho para casa, ela como sempre não havia se precavido, e ao menos levou um guarda chuva. No começo não deixou de reclamar, pensou consigo: Saco, logo agora que sai do trabalho, odeio esse tempo!
  No fundo sabia que estava mentindo para si própria, ela amava dias como aqueles, apenas queria aproveita-lo em casa. Logo começou a sentir uma sensação, sensação de frescor, as gotas desciam pelo seu rosto, trazendo consigo lembranças de um tempo bom. Tempo esse que independente de chuva ou sol, ela sabia aproveitar.
  Colocou uma água para fazer um chá, enquanto isso tratava de se enxugar. Naquelas alturas não seria nada vantajoso pegar uma gripe. Tinha muitas responsabilidades para cumprir e muitas contas ainda para pagar. Algumas desvantagens de não se morar com os pais, pensava ela. Se jogou na cama, deu um leve carinho e um beijo no gato, que reparava toda a movimentação da dona. Com um pijama velho, um daqueles de adolescência, aqueles que guardam lembranças das noites dormidas nas casas das amigas. Aquele que ela usava enquanto chorava na cama, só por causa de um carinha que pisou na bola com ela.
  A xícara de chá no criado mudo, o livro de seu escritor preferido, na verdade era o que ela mais tinha. Livros. Livros na sala, no quarto, na cozinha tinha o livro de receitas que sua mãe a havia presenteado no aniversario, com a desculpa de que seria útil. O qual ela já tentou usar, porem seus pratos não foram dos melhores. Começou a ler algumas folhas do livro, enquanto alternava com alguns goles de chá, e enquanto reparava na chuva la fora. Ela reparava carinhosamente naquelas gotas escorrendo na vidraça.
  Se cansou de ficar ali tentando ler, sua mente estava um pouco longe. Resolveu colocar um som, ficou em duvida entre os CD`s do The Smiths, Of Monsters and Men, Queen, The Beatles, Florence an The Machine. Escolheu The Smiths, nada que a voz carregada de nostalgia do Morrissey.
Se espreguiçou na cama, virou para a janela, sua alma gritava por algo. O chá no criado mudo já havia esfriado, o livro jogado pela cama, o gato tentava se aconchegar em meio as cobertas e o corpo quente da dona, acabou desistindo, sua dona estava agitada demais para deixa-lo dormir.
  Ela ficou ali imaginando sua vida, revivendo seu passado, ficou ali tentando se encorajar, buscando algo. Algo que ela sabia que existia dentro de si. Aquela lagrima insistia em cair, aquela saudade que batia, aquela dor. Aquela nostalgia. Pois nada melhor que um livro, chuva e cha para trazer tudo isso a tona. Ah, sem esquecer do CD do The Smiths que tocava.  Ah esses dias de chuva, pensava ela.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Quando a gente se perde.


























  As vezes a gente se perde. Se perde de si próprio. Perdemos a total essência, perdemos o amor, a paixão por aquilo que realmente nos fascina, a paixão por aquilo que nos arrancava suspiros.
 Eu me perdi. Perdi as forcas para continuar. Ainda posso lembrar com clareza de quando eu tinha uns 16 anos, posso lembrar com delicadeza daquela garota cheia de expectativas, onde o mundo realmente parecia fazer sentido, onde as coisas tinha uma essência diferente. Hoje as coisas acabaram perdendo a graça, ate mesmo as amizades parecem tao superficiais, parece que nos falamos apenas para manter as aparências.
  As minhas letras se embaralham com as letras daquela jovem. Um louca jovem. Uma pausa. Odeio quando entram no quarto de repente, sem bater, sinto como se estivesse sendo vigiada, gosto de privacidade, gosto de escrever meus textos e jogar ao mundo, porem um mundo distante, pessoas próximas normalmente não leem. Voltando. A alegria misturada daquela jovem, daquela garota, ela conseguia balancear as coisas, ela sonhava, ela buscava. Oh meu Deus, o que aconteceu comigo? Me sinto tao estranha.
  Sinto que aquela garota anda por ai, em qualquer esquina. Aquela velha essência anda buscando meu corpo para habitar, e se ele já estiver em outro? E agora?
Gostaria de encontra-la, gostaria de voltar ter aquela coragem, de ter o mesmo amor pela vida, amor.
Aquela garota de sorrisos sinceros, de sonhos avassaladores, hoje essa garota se encontra conturbada, tem medo das incertezas da vida. Porem um dia ainda a encontrarei. Eu sei que ela esta por ai. Eu a busco. E ela me busca.
 E meu corpo entrara em colapso com minha essência, a minha bravura, a minha forca de vontade, a vontade de realizar o novo, coragem de ir ao desconhecido. Quando a gente se perde de nos mesmos, perdemos a identidade, perdemos o amor próprio. Mas quando nos encontramos, quando nos encontramos. Podemos mover o mundo. Pois na verdade, a gente nunca se perde.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Formatação...






























 Pode entrar, se aconchegue. Acabei de preparar um cafe quentinho, ainda posso ver a fumaça.
Sabe querido amigo, hoje eu resolvi entrar em total formatação. Nossa, amo essa musica London da Vanessa Carlton, sempre me traz boas lembranças. Cara, minha quinta xícara de cafe, acho bom parar por aqui, minha mente já anda bem agitada, ah minha quinta xícara agora a noite, totalizando o dia todo, podemos dizer que já tomei umas doze xícaras hoje.
 Então, como eu estava dizendo, resolvi entrar em total formatação, sabe, pode parecer bobeira, mas decidi arrancar uma parte da minha vida, na verdade tenho passado esses últimos dias dessa maneira, querendo limpar a mente, limpar o coração. Estava limpando minha rede social, o tal Facebook, retirando pessoas que não tinha muito contato, pois de numero nossas vidas já estão cheias, uma hora cansa ver aquele monte de gente online, e só ficar ali de enfeite no cantinho da tela, do que adianta?
Cansei de continuar e exclui o Facebook logo de vez.
 As vezes um ponto final e melhor do que uma virgula, continuar com algo que não traz alguma edificação, eu apenas percebia a diferença de alguns anos atras, no velho MSN, era aquela correria para voltar da escola, de conversar com amigos virtuais com os quais mantinha contato todos os dias, hoje em dia e diferente, uma competição, perdeu a graça, perdeu a essência. E muitas lembranças estavam ali estampadas, não queria continuar com algo que só iria me deixar para baixo cada dia, cada momento.
 Perai, me deixe tomar mais um gole de cafe. Hum, esse cafe esta no ponto, do jeito que gosto!
Também curto essa Ordinary Day da Vanessa Carlton, posso dizer que boa parte da musica dela me traz uma nostalgia fantástica. As vezes a gente sente que precisa de uma formatação, precisa limpar e deixar um espaço para coisas novas, precisa parar de ser vidrados em certas coisas que não fazem diferença. A minha formatação foi essencial. agora se adiantara de algo, eu ainda não sei, porem com o tempo irei tirar uma conclusão certa. Enquanto isso ainda tento fazer uma formatação no coração, que ainda insiste em dizer que não esta sendo possível, que esta dando erro.
 Agora com licença, irei tomar mais uma xícara de cafe. Tchau.


domingo, 21 de setembro de 2014

Melancolia

  Sei que as vezes sumo, desapareço. Mas não posso mentir, as vezes e preciso um tempo, um tempo para pensar, um tempo para organizar a mente. As vezes a vontade e tao grande de sumir, que entro em total melancolia, e isso tem me consumido dias apos dias.
  Uma xicara de cafe ao lado, ao som de The Smiths, não podemos mentir, os caras são o máximo, a voz do Morrissey me da uma nostalgia, melancolia. Oh meu amigo, eu ainda lembro daquele apelido que colocamos um no outro, eu gostei tanto de você, mas eu precisava me afastar. Eu estava começando a me afundar, você me atraia com seu modo de falar, esse seu jeito de dizer que gostava de mim. Dizia que me odiava, eu esperava você entrar em alguma rede social, só para começarmos as trocas de musicas, eu ainda irei lembrar com carinho da musica do Queen que você me mandou, daquele momento em diante o Queen não saiu da minha playlist, também não esquecerei da musica My Love Life do The Smiths. Cara, você me fazia sair desse meu mundo, esquecer os meus medos.
  Eu precisava me afastar de você, nunca irei esquecer da primeira vez que nos vimos, estávamos na Europa, e ali nasceu uma amizade, baseada no "ódio" e implicâncias. Eu precisei me afastar,os sentimentos estavam se distorcendo, eu acho que não sou uma pessoa ideal para um relacionamento, primeiramente que vivo em um mundo trancando com minhas historias, tenho uma mente conturbada. A melancolia me ataca de tal forma, as vezes fico acordada uma boa parte da madrugada, as lembranças e saudades, sinto muita saudades, queria voltar. Porem, devo ser realista, nada volta. O passado vai ficar la, e as lembranças vai ficar aqui me perturbando. E um sentimento tao estranho, as vezes gostoso, ninguém nunca vai entender, minha família nunca ira entender. Eles não sabem metade do que passa em minha cabeça. E nunca farei questão de contar. As vezes e melhor passar a vida guardando um lado da historia, pelo menos isso ninguém ira tirar de mim.
 Enquanto isso  carrego comigo essa melancolia, e a cada dia que passa ela aumenta. Eu sei que eu deveria escrever sobre coisas mais bonitas, porem eu escrevo o que sinto, e se estou me sentindo assim, e desse momento que arrancarei palavras do meu ser. Arrancarei de mim mesma aqueles sentimentos guardados, os escreverei. E assim faço.


quarta-feira, 11 de junho de 2014

Cantora da Semana: Adie Camp


Hello!! Tudo Bom?
Hoje irei apresentar a cantora Adie Camp, que encontrei por entre as minhas procuras no Youtube.
Adrienne Camp mais conhecida como Adie Camp, nasceu a África do Sul no dia 12 de julho de 1981. Atualmente canta solo, mas ja foi integrante de uma banda de pop rock cristã The Benjamin Gate. Casada com o cantor cristão Jeremy Camp, com quem tem 3 filhos.
Vamos escutar algumas de suas musicas?









Espero que gostem!!
Beijão!!  

terça-feira, 10 de junho de 2014

Coisas passageiras.

Ja se sentiram sozinhos? Bom, acho que uma boa parte da população ja se sentiu.
Desde crianca busquei me confortar em Deus, desde alguns conflitos na escola, a perda do meu pai aos 11 anos de idade, entre outros momentos. Me lembro que eu sentava no sofa e ficava conversando com Deus, mesmo nao o vendo, porem eu tinha certeza que ele se fazia presente. Sempre tive muita fé em Deus, e sempre terei.
Hoje estava me lembrando de uma época em que me afastei de Deus . Estava longe de todos, e os convites para sair pareciam legais, pensava: Ah, não terá problema.
E começou ali, começou uma fase da minha vida em que me encontrei totalmente afastada de Deus, esqueci completamente que havia sido ele que tinha me dado aquela oportunidade. Os convites para festas pareciam mais legais, divertidos, as amizades começaram a aparecer, um namorado. Claro, tudo parecia muito mais legal do que buscar a Deus. Tudo era mais saboroso, era um mundo novo para mim. Uma nova experiência.
As amizades pareciam ser eternas, eram tão companheiras, me ajudavam na maioria das coisas que eu precisava. Um namoro praticamente perfeito. Pode ter toda certeza que o inimigo nunca usara coisas bobas para te atrair. Ele trará um prato, um prato não, um banquete. E foi assim para mim. Lembro que um dia fui na igreja, e chorei bastante. Chorei. Eu sabia que havia me afastado dele, e ele me olhava, ele me esperava, me avisava. Ele me avisou por sonhos, e eu achava aquilo tudo uma besteira. Passei a desacreditar em sua palavra e promessas, e ate mesmo que ele existia. Hoje me sinto envergonhada por tal pensamento, como posso ter duvidado daquele que na angustia estava comigo? 
Tudo parecia perfeito, lindo. Primeiro emprego, pura alegria, agora poderia juntar uma grana, permanecer mais tempo naquele lugar, ao menos havia consultado se era realmente a vontade de Deus a minha permanencia ali. Ate quando tudo começou a desmoronar, começaram as brigas no namoro, o termino, a calunia, a amizade se esfriou, todos sumiram. Lembro que eu acordava para ir trabalhar e eu chorava, encostava na pia do banheiro e chorava, e sabe quem estava ali me consolando? Nao, não eram os tais amigos. Deus me consolava. Comecei a sentir raiva daquelas pessoas, um rancor começou a surgir, e a tristeza também. Outros problemas surgiram, e ali passei por muitas aflições, saia do trabalho e nao conseguia voltar para casa com medo da solidão, uma angustia, as festas ja nao me satisfaziam. Nada. As amizades passageiras. Posso dizer que me restou apenas uma pessoa, uma mulher que eu havia conhecido na casa que morei, uma pessoa maravilhosa, ela era única com quem eu conseguia desabafar, ela não me convidava para festas, por causa de sua religião. Mas me convidava para lanchar, ir aos parques, tirar fotos, e por um instante eu conseguia esquecer toda aflição. 
Uma manha pedi Deus uma resposta, no outro dia ele me deu. Ele nao queria que eu ficasse mais ali, nao era a vontade de Deus. E ali aprendi que Deus continua sendo Deus sem mim, mas eu nao sou nada sem ele. Eu havia sido culpada, eu teria que enfrentar as consequências dos atos. Algumas amizades são passageiras, elas somem quando encontram algo melhor, relacionamento sem a vontade de Deus acabam. Deus me deu grande livramentos. Tudo passa, tudo. Deus se tornou meu grande companheiro, e não tenho do que me envergonhar, não tenho que ter medo. Festas são passageiras, ao chegar em casa bate a solidão novamente. Eu sei que Deus permitiu o meu retorno, pois ele nao queria me perder para ilusões. Deus tirou todo o rancor que estava dentro de mim, não sinto mais raivas daquelas pessoas. Hoje agradeço a Deus por não ter me deixado ali, agradeço a Deus pela nova oportunidade. Agradeço por me amar tanto e ser meu verdadeiro companheiro. Meu pai. 


 
 

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Vale a pena acreditar.























 As vezes pareço confusa. Uma mente louca. Mas pode acreditar que esses era um dos meus apelidos. Pelo meu modo de agir, falar, de sonhar. Sempre sonhei muito, as vezes ate saia fora da realidade em que eu vivia. Mas também sempre acreditei que se temos um sonho, temos que correr atras. Claro que terá aqueles dias que parece que nada acontecera. 
 Mas sempre confiei em Deus, sempre confiei e compartilhei cada sonho com ele. Acreditar em si mesmo não doí. Escute a voz do seu interior e vá em busca de seus sonhos, metas. Daquilo que você espera. Pare um instante. Olhe para céu. Feche os olhos e busque inspiração. Busque dentro de si coragem, força de vontade, amor, e o mais importante: Fé. A fé leva qualquer um longe. A fé de mudar pensamentos auto-destrutivos. Sabe aqueles pensamentos que só aparecem para desanimar. Podemos ir longe, basta querermos. Claro. Nao espere que tudo sera mil maravilhas. Pois não sera. 
Lembro que aos 15 anos comecei a sonhar em viajar para outro pais, chorava muito, pois sabia que seria difícil. A vontade ficou ali presa, apenas no pensamento. Aos 16 pedi para começar um curso de inglês, já no intuito de viajar, algumas pessoas falaram que era besteira, perguntaram se eu iria viajar para algum lugar. Poxa, precisa ter que viajar para começar um curso de inglês? Oras. Aos 17 comecei minhas pesquisas sobre intercambio, e la se foi dias tentando mostrar minha mãe sobre intercambio, mas o "não" era persistente. Eu chorava muito, mas nunca perdi a esperança, comecei a orar muito, pedir a Deus. Lembro que já estava desistindo, quando sonhei com um ambiente totalmente escuro, e uma voz dizia: Arruma todos os seus documentos, deixa tudo pronto. Lembro que sonhei com avião, com varias coisas. Acreditem minha mãe logo aceitou, claro que ainda teve muitos outros "naos". Mas não deixei que me parassem. No final de 2012 la estava eu embarcando para a Ilha Verde, com apenas 18 anos, indo morar sozinha, alugar casa, trabalhar, preparar minha própria comida, encarar um lugar sozinha. Encarar um outro pais sozinha. Eu sabia que eu poderia passar por momentos difíceis, mas nada me desanimava. E logo estava na Irlanda, precisamente em Dublin. Passei por muitas coisas, mas acreditei. Sonhei. Busquei. Acreditei em Deus. 
 E espero que o sonho que esta instalado em seu coração, não fiquei apenas instalado, mas que ele vire uma realidade, pois sonhar não mata. Acreditar que tudo vai mudar, que sua historia vai mudar. Nao olhe para os "naos". Olhe para Deus. Creia. Tenha certeza que mesmo que pareça impossível, ele vai fazer algo maravilhoso. Sempre vale a pena acreditar. Voe. Sonhe. Realize.

"Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração" Salmos 37:4.

Beijos...

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Filme da Semana: Aprendendo a Amar!!

 Helloo!! Tudo Bom?!?
Esse final de semana decidi mofar em casa ( hahaha ). Sao Paulo tem esfriado a cada dia, esta difícil largar a cama. No domingo resolvi assistir um filme, entre uma busca e outra, encontrei um que tinha como cenário Berlim-Alemanha. Acho que uma boa parte de filmes que postei se passam na Alemanha. Sempre visito a aba de filmes que se passam la, e também estou "tentando" aprender alemão.

Vamos ao filme:
O filme retrata a historia de Ludo Decker. Um louco paparazzi, sempre cometendo loucuras para conseguir fofocas dos famosos para o tabloide onde trabalha, e também um grande namorador, ou melhor, pegador. Ludo e seu amigo se aventuram em um teto de vidro, para buscar um furo de reportagem de um noivado, mas Ludo não esperava que o teto se rompesse e ele caísse em cima do bolo. Ludo acaba sendo processado. A juíza então decreta que ele cumpra 300 horas na creche da região, ou poderia ficar preso por 8 meses. 
Então Ludo vai cumprir o acordo, ao chegar na creche encontra Anna, uma colega de infância, a qual Ludo se aproveitava para ridicularizar. Ele ainda confuso, achando que os dois fossem amigos de infância, mas ela tenta lembra-lo o quanto ele aprontava com ela. Anna então se aproveita da situação de Ludo para se vingar. Ela o coloca para fazer os trabalhos mais difíceis da creche, porem Ludo sempre esperto consegue se sair bem em vários momentos. Mas apesar de tudo que Ludo havia feito para Anna, ela gostava dele. Eles começam a se aproximarem, ela da dicas a respeito de como conquistar uma mulher. Depois de alguns dias, eles ficam juntos, porem Ludo leva aquilo como um momento qualquer, enquanto a paixão de Anna aumenta mais. Ele marca de se encontrar com ela em restaurante na quarta, mas acaba não aparecendo, ela decidi ir na casa dele. Mas o encontra com outra garota. Depois de uma tremenda confusão. Daquela fase de solidão, tristeza. Ludo começa a gostar de Anna, e tenta reconquista-la. Ate que ela o desculpa.

Minha Opinião: Gostei bastante do filme!! E sem contar que Matthias Schweighöfer faz parte do elenco, eu acho ele muito fofo. Ele interpretou o melhor amigo de Ludo. O filme me arrancou varias gargalhadas, não e muito melódico.Mas simples e engraçado. O Ludo sempre irônico, a Anna muito engraçada. E o cenário lindo!! Caiu bem para o dia, não tenho nenhuma reclamação. O final foi bem legal, apesar de não saber muito bem o rumo que o romance levou. Porem, super indico!! Mas em minhas pesquisas sobre o filme, acabei descobrindo que tem uma continuação, agora estou louca procurando o 2, porem esta complicado para achar. 

Trailer: 


O trailer esta em alemão, mas assisti o filme em português, pois não encontrei ele no site que costumo assistir, e acabei assistindo em outro. 
Espero que gostem!!
Vou indo!!
Beijos!! 
Fiquem com Deus!


sábado, 24 de maio de 2014

Bom Dia/Tarde!!

Helloo!! Tudo Bom?!?
Os dias em Sao Paulo esfriaram, uma garoa, um frio delicioso. Vontade de passar o dia debaixo das cobertas, aproveitando para tomar uma xícara ( duas, três, quatro) de cafe. Amo esses dias!!
Bom para escutar umas musicas, pensar um pouco, ler, entre outras coisas!!







   E aproveitando para assistir: 


E me sentindo assim:


Tenham uma Boa Tarde!!!


sexta-feira, 23 de maio de 2014

E nessa monotonia.

Uma xícara de chá lado, um resfriado de brinde. Uma vontade de mudar tudo, de voltar, de ter aproveitado, ao mesmo tempo uma vontade de deixar tudo como esta. De não revirar um bau, já esta enterrado e não faz parte desse momento.

Sabe esses momentos estranhos?

Esses momentos que nos encontramos entre os altos e baixos, em que estamos tentando criar forcas contra nos mesmos, aquele momento que o sentimento de tristeza, magoa, já não fazem sentido. A cada dia desaparecem. Somem. Evaporam.
Encontro em uma momento de monotonia, em que ha dias nublados, e outros ensolarados. Dias que não busco um novo amor, mas busco uma nova historia. Uma nova fase, novas ideias, novos sonhos.
Ha dias que minha inspiração não batia na porta. Sera que hoje estou inspirada? Nem eu mesma sei. Porem, uma vontade la no fundo de escrever esses turbilhoes de palavras, esses sentimentos confusos, e esse coração acelerado. Preciso buscar em mim mesma novas sintonias, mudar para o modo ON da vida. E agora?

Ja sentiram seus sonhos travados?

Nunca precisei do sim das pessoas para sonhar, e você também não precisa, seus  sonhos se encontram dentro de vocês. Mas ha dias que os sonhos estão tao distantes, o medo de não realizar, o medo de viver uma vida baseada apenas em sonhos que não se concretizarão. Nao que eu seja dessas pessoas que não coloca fé nos sonhos, muito pelo contrario, acredito que se tivermos audácia o suficiente para lutar. Conseguiremos. Porem por um instante pensei mesmo se queria continuar com essas imaginações, de repente me perguntei: Onde se encontra aquela garota dos sonhos rabiscados? Aquela que escrevia em uma folha de papel, olhava para o céu, e pedia Deus forcas para seguir em frente?
Nao quero perder as forcas exatamente agora, não quero regressar. Quero lutar pelo que desejo, quero ser diferente. Nao quero apenas existir. Ja perceberam como ha pessoas que passam suas vidas reclamando? Pessoas que não gostam de sua própria vida?
Tenho medo.
Tenho medo de me deparar com um futuro assim, não quero passar todos os dias da minha vida odiando essa oportunidade. Pois muitas vezes e nessa monotonia que recarrego minhas forcas para seguir avante. Nessa monotonia que consigo reparar a realidade em que vivo, e se e assim que quero viver meu futuro. E definitivamente eu quero ir mais longe. Mesmo que muitos digam que não. Pois no fundo ha algo dizendo: Sim, vai dar tudo certo.
Nessa monotonia...