quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Passaros na mente!


 Mente cheia. Olhos encharcados. Esperança ativada. Borboletas no estomago. Coração desacelerado.
Mas uma que a vida apronta. Eu poderia ser como qualquer outra garota com vontades e objetivos, aquelas garotas que apenas pensam em se casar e viver ao lado da família e em uma mesma cidade. Sempre me perguntei: Por que não sou como elas?  Mas a vida tinha que me pregar uma peca. Tinha que encher meus olhos de esperanças, minha mente já vivia fora do lugar, nada mais correspondia aquelas expectativas. Tudo parecia muito simples e conformista. As coisas já fugia do meu eixo. Uma mala encostada do lado do guarda-roupa já trazia muito mais conforto, encaminhada de vontades e loucuras, imaginações fluindo a solta. Na verdade, nunca fui normal.
Sempre fui a calada. Aquela menina que fica ali no canto, enfiada no quarto nos almoços de família aos domingos, aquela que quanto menos gente melhor. Sempre me senti sozinha em meio a multidão, nunca consegui encontrar um encaixe em meio aquelas conversas, na verdade sempre achei tao idiota e sem sentido tudo aquilo.
Tive muitas amizades, nem todas elas me acompanham ate hoje, muitas se estacionaram em meu passado, e espero que la fiquem, percebi que não fazem tanta diferença para mim hoje. E em muitas dessas amizades, pude perceber que umas desejavam apenas viver ali e se casarem, outras tinham planos, mas estacionaram no tempo, impregnadas com algo que não as deixava terem forcas suficientes para ir alem. Sim, claro que penso em me casar, penso, sou um ser humano. Mas, nunca me imaginei viver ali. Foi tao de repente. Tao subitamente. Logo já me vi entediada de tudo aquilo, nada daquilo se condizia aos meus reais sentimentos. O mapa já era meu melhor amigo. Horas na internet buscando uma saída para aquilo tudo, mesmo sabendo que era apenas virtual, mas já me quebrava um galho danado.
Apoio não era uma coisa fácil de encontrar. Mas sempre me apoiei na fé. Na credibilidade de que tudo um dia iria e ira ser diferente. Havia pássaros em minha mente, mas se encontravam presos. Sempre fui apaixonada por tudo que continha asas, para mim ha um significado importante. Asas da o poder da libertação, do voo, de ir mais longe, de alcançar sonhos, de voar alto. E assim eu poderia acreditar que continha asas, tais que me levariam para longe. Longe de tudo que não me despertava interesse. Um dia.
Um dia qualquer eu iria, e ainda conseguirei libertar esses pássaros em minha mente.
E ai sim. Sim, irei muito mais longe.


Nenhum comentário:

Postar um comentário