quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Apenas mais um dia

   
       Naquela manhã de sol, ela ainda se encontrava jogada na cama, em meio aos lençóis, um olhar sonolento, apenas pedindo para que a noite voltasse. O alarme avisando a ela em alto e bom som que era o momento de acordar, mas ela continuava ali, o corpo e espirito a pediam para que continuasse ali, ela já se imaginava em mais um dia composto de desânimos. Mas era preciso se levantar.
     Espichou o corpo, olhou a janela e pensou: Que saco!! Apenas desejo que esse dia passe rápido.
Ela se sentiu completamente forçada para aquele ato, talvez necessitasse de um empurrão, ou melhor, de um bom banho. Era preciso despertar completamente. Deslizou pela cama, sentou, pensou e ação!!! Na verdade, ação não era uma palavra que se encaixava naquele momento, lembra muitos movimentos, e era o que era menos desejava. Foi ate o banheiro, tomou aquele banho gelado,  único modo para dar um choque de realidade. Acabou escovando os dentes ali mesmo. Colocou a roupa, aquela blusa da sua banda favorita, combinando delicadamente com sua blusa xadrez,  penteou os cabelos, se maquiou, respirou profundamente, e ali olhou para o teto e se imaginou afundada na cama, lendo seus bons livros, entre uma xícara e outra de cafe.
   Levantou, cruzou a sala, trancou a porta e la se foi.
 Descendo para o ponto de ônibus, começou o seu ritual, mas naquele dia havia um diferencial, ela olhava para as pessoas, sentadas naquelas poltronas, outras faziam questão de permanecer em pé. Alguns com olhares sonolentos, pareciam que haviam passado a noite acordados, outros faziam questão de cochilar. Ela reparou no casal,  na moca ao telefone, naquele casal de senhores que ela achava uma fofura, ela reparou que aquele senhor sempre acompanhava sua esposa ate o ponto, e esperava ela subir no ônibus, e logo aquela senhora, sentava junto a sua amiga, e ali as duas se despediam do senhor que levava consigo um adorável cachorrinho. Ela ficava tentando imaginar a vida de cada um, eles seriam vazios como ela?
   Ela permanecia ali com os olhos pregados no relógio, ansiosa para que a aula acabasse, observava seus colegas empolgados, e ali o tempo foi passando, e seus pensamentos se encontravam a cada minuto mais distantes. A hora tao esperada chegou, pegou sua bolsa e saiu apressadamente, como de costume, fones de ouvidos em ação, no ultimo volume. Finalmente chegou em casa, colocou sua velha camisa, coque, pés descalços. A gritante cafeteira a avisava, correu ate a cozinha, pegou sua xícara de cafe quente, voltou para o quarto, pegou seu livro e começou sua  leitura.
  Apos alguns minutos olhou para janela e pensou: Ja se foi mais um dia...um dia qualquer, sem mais nem menos, na verdade, meus dias sao completos de mais. Mais solidão, mais xícaras de cafés, pensamentos distantes, sonhos acumulados. E agora?!? agora e mais uma noite, mais uma noite qualquer.
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário