quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Lembranças de Nos...

       Lembro de cada detalhe de nossos momentos, cada sorriso, lagrimas, brigas, abraços e beijos, nossa forca de vontade em aguentar os defeitos de cada um, o medo que sentia quando você ficava quieto e pensativo, sem dizer nenhuma palavra, sentia que você pensava nela, mas queria acreditar que tudo daria certo para nos, que um dia você iria reparar em mim.
       O tempo foi se passando e fomos nos conhecendo melhor, já não conseguíamos permanecer longe um do outro e a paixão foi aumentando a cada dia, seu sorriso já era o meu melhor remédio  seus abraços era a minha calma, e seu olhar era apaixonante a cada dia. Comecei a me sentir protegida em seus bracos, as nossas brincadeiras foram aumentando, e você foi se tornando especial a cada dia, quando me despedia de você meu coração palpitava, e ficava em minha cama esperando loucamente para amanhecer e poder te ver novamente, tínhamos nosso ponto de encontro logo apos a escola, tentava passar reto, fingir que não te conhecia, mas meu sorriso não se segurava, e logo eu corria em sua direção para pegar em suas mãos.
      Mas tenho medo do que acontecera, se continuaremos juntos, se não e apenas mais uma paixão como outras que vivi, se não irei sofrer o mesmo que sofri com outros garotos, tenho medo de nossas mãos se soltarem e ficarem perdidas uma da outra, você me ensinou muita coisa, me fez vivenciar novos acontecimentos, cada brincadeira, cada sorriso me faz gostar cada dia de ti. Sei que  não estaremos juntos daqui algum tempo, temos pensamentos diferentes, objetivos que nos impedem de continuarmos juntos, mas quero te agradecer por tudo que nos aconteceu, foram formas de aprendizagem, de crescimento, me sinto outra pessoa depois de tudo que nos aconteceu, me sinto forte, me sinto renovada, jamais esquecerei esse seu jeito que me fez apaixonar por ti.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Dias Chuvosos


  Devem me achar estranha por amar dias chuvosos, acho que eles despertam algo em mim diferente do comum, acabo me desenvolvendo melhor, criando alguma forca inexplicável para suportar o dia , e lutar contra mim mesma.
Sempre que acordava e percebia que o dia iria ser pelo menos nublado sentia que algo de bom iria acontecer no decorrer, sentir o cheiro da terra molhada, me instigava sonhos, pode ser meio estranho aos olhos dos outros, ate mesmo aos meus, pois o que mais vejo são as pessoas se sentindo mais dispostas quando o dia se encontra mais ensolarado, talvez seja por que eu cresci em meio a dias ensolarados e assim parecia que todo dia era igual e monótonos, e quando eu via aquela nuvenzinha escura, sentia que aquele dia iria ser encantador, pode ate parecer estranho, mas foi nesses dias que comecei a sonhar, um sonho gigantesco, um sonho que me tornou diferente daqueles que me cercavam.
Quando menos se esperava la estava eu deitada em meu sofá olhando o tempo la fora e me imaginando em diversos lugares, e com pessoas de diversas partes do mundo, e ali eu ficava explorando minha gigantesca imaginação, me aprofundando em meus míseros pensamentos, tentando entender tudo aquilo, e tentando desvendar meus próprios mistérios, que ficavam ali guardados dentro de mim, tentava ao máximo não permitir que ninguém entrasse para acabar com aquele mundo que criei para mim, como se fosse meu casulo, que me protegia de tudo e de todos, uma preparação para o crescimento.

sábado, 9 de fevereiro de 2013


Desejo de liberdade!

MORAR FORA (Tom Jobim)




Não é apenas aprender uma nova língua.
Não é apenas caminhar por ruas diferentes ou conhecer pessoas e culturas diversificadas.
Não é apenas o valor do dinheiro que muda.

Não é apenas trabalhar em algo que você nunca faria no seu país.Não é apenas conquistar um diploma ou fazer um curso diferente.
Morar fora não é só fazer amigos novos e colecionar fotos diferentes.
Não é só ter horários malucos e ver sua rotina se transformar.
Não é só aprender a se virar, lavar, passar, cozinhar.

Não é só comer comidas diferentes, pagar suas contas e se preocupar com o aluguel.
Não é só não ter que dar satisfações e ser dono do seu nariz.
Não é só amar o novo, as mudanças e também sentir saudades de pessoas queridas e algumas coisas do seu país.

Não é apenas já saber que é alguém do Brasil ligando quando toca seu celular e aparece número privado.
Não é só a distância.
Não são apenas as novidades.

Não é só uma nova vista ao abrir a janela.
Morar fora é se conhecer muito mais...
É amadurecer e ver um mundo de possibilidades a sua frente.
É aceitar desafios constantes.

É se sentir na Terra do Nunca.
É querer voltar e não conseguir se imaginar no mesmo lugar.
Morar em outro país é se surpreender com você mesmo.
É se descobrir e notar que na verdade, você não conhecia a fundo algo que sempre achou que
conhecia muito bem: Você mesmo!

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Apenas mais uma..


Ela era apenas uma menina de 17 anos, com uma terrível mania, talvez defeito, mas para os outros uma ótima qualidade, ela sempre se comportou da maneira como a sociedade a submetia, sempre abaixava a cabeça para seus argumentos, e os seus permaneciam em silencio, e ela continuava submersa a aquele mundo.
Enquanto as pessoas falavam e falavam, ela permanecia com seus pensamentos em silencio e transbordando, a vontade de falar, de se expressar era tamanha, que muitas vezes a única maneira de deixar tudo aquilo fluir era se afogar em lagrimas, era entrar em seu quarto, deitar em sua cama e chorar, apenas isso, talvez essa fosse a única forma de não morrer com tantas coisas dentro de si, pois o ali era o mundo que ela havia criado, só para ela e ninguém mais.
As pessoas ao seu redor sempre teimaram em ditar como ela deveria andar, como deveria vestir, o que poderia ou não fazer, ah e coitada dela se pisasse fora daquele circulo de fogo, se infligisse uma lei, era pedir para ser julgada cruelmente.
Era o seu dever sorrir para as pessoas, como se estivesse bem, enquanto sua maior vontade era de gritar, era de expulsar toda aquela raiva que ficava ali dentro, mas e claro que ela não poderia cometer tal ato, iria contra os padrões estabelecidos, jamais, isso seria terrível para sua auto imagem.
Quantas vezes teve que encarar uma pessoa que tanto a feriu, quantas vezes não queria receber ninguém em casa, mas uma boa menina nunca age friamente, ela tem que saber se comportar, tem que ser uma boa garota para não magoar a família, e todos aqueles que dizem que a amam. Engraçado que nenhum deles se importava realmente com o que ela pensava, com seus sonhos e planos, para eles tudo aquilo que ela tinha em mente, era impossível de alcançar, falavam que tudo aquilo era loucura, que o melhor era esquecer tudo aquilo e se conformar com aquela vida.
Aquela menina sentia que seus dias passavam arrastando, já não fazia mais sentindo viver aquilo tudo, ela parou e pensou: o que estou ganhando tentando agradar pessoas que não estão nem ai para mim, pessoas que não fazem a diferença na minha vida no final das contas, tentando agradar quem?
O que eles irão fazer no dia da sua morte? Irão olhar e dizer: Oh tao nova, uma menina maravilhosa! E ela ali morta com todos seus sentimentos guardados, todos eles foram consigo, sem nem ao menos ter ousado sair da caixinha, enquanto sua alma padece, as pessoas continuam a comentar: Tao nova, tao comportada, coitada! Naturalmente estarão fazendo aquela expressão facial de choro, e fingindo um sentimento que nunca tiveram, por que ela sabia quem realmente importava com ela, ela sentia, ou melhor ela teve que aprender a perceber essa diferença.
Ela não queria ser rebelde ou coisa do tipo, ela apenas queria ser quem era realmente, ela queria deixar seu verdadeiro eu existir, ela queria ousar, ela queria ir muito mais longe, seu sonho era apenas ser livre, acreditar em si própria, sem tantos julgamentos.
Mas ela era apenas uma garota de 17 anos com tantos sonhos para realizar, e que vivia com a cabeça na lua, coitada...

Estranhezas

   Uma sensação maravilhosa de conquista misturada com a sensação de falta, medo, nostalgia, todos sentimentos misturados em um só corpo, mente e alma.
  Me sinto completamente perdida entre as escolhas, os ganhos e perdas, me pego muitas vezes pensando no futuro,  ah o futuro coisa tao incerta, sonhos espelhados junto ao vento, coração palpitando de ansiedade, fico relembrando meus velhos sonhos ou talvez novos acontecimentos, sinto saudades de quando ficava ali quietinha sonhando em estar longe de tudo aquilo, só queria por um momento me encontrar, me sinto perdida nos meus pensamentos. Muitas vezes olho para o céu e peco forcas para continuar a caminhada, olho ao meu redor e vejo que tive forcas suficientes para chegar ate aqui, e continuarei lutando para prosseguir nessa caminhada de realizações  nessa caminhada ao meu encontro. As vezes me sinto sem animo, tentando encontrar uma razão para tudo que faco e ainda irei fazer, me sinto obrigada a me levantar, preciso deixar as preocupações de lado, o medo do incerto, medo do que irão falar, dos julgamentos, das palavras.
 Quero me sentir livre para tomar decisões, me sentir completa, sentir bem comigo mesma, quero libertar esse meu lado aventureiro e corajoso novamente, me arriscar no desconhecido, aproveitar as oportunidades, quero novas realizações na minha vida, desejo sentir frio na barriga por estar entrando em um espaço totalmente diferente, presenciar novos acontecimentos, conhecer novas culturas, me sentir livre, esse e o meu desejo, sentir a brisa no rosto sem preocupações, ter coragem suficientes para encarar os problemas, pessoas e a mim mesmo e meus fantasmas. Quero apenas Ser Livre!
\o/